Uncategorized

Nascido em 12 de maio

Banco
Não me lembro de praticamente nada sobre 12 de maio de 2006. O que estava pensando, como foi meu dia no trabalho, o que aconteceu na ida, na volta, no horário do almoço. Não consigo nem lembrar o que me impulsionava nas decisões que tomei. E não foram poucas. Só o que guardo desse dia são seus resultados, que estão longe de serem pequenos, pelo menos na minha vida.

Nasceram em 12 de maio de 2006 o “Para ler sem olhar”, o Paulo Osrevni, a figura de Magritte como ilustração. Todos, de uma só vez. Até então, eu tinha escutado repetidamente: “você deveria fazer um blog”. Mas não tinha acatava. O nome era estranho. Blog? Que raios! A bem dizer, ainda me incomoda. Estava sob a influência da idéia de que “essa bodega” só servia para adolescentes desocupados papagaiarem. Já isso, não penso mais: acho que blogs não servem para nada específico. Ótimo, é assim mesmo que deve ser. À fogueira com todos que insistem em enquadrar a blogosfera!

Por algum motivo, minha resistência foi quebrada em 12 de maio de 2006. Talvez tenha sido o dia em que descobri como é fácil usar o Blogger, ainda que o resultado seja questionável e as falhas, muitas. Talvez seja algum outro motivo. Não me lembro. Minha memória sempre foi péssima, já me conformei. Mas às vezes ainda me irrito.

O primeiro post fala justamente disso: “Este é meu primeiro post. Demorou, mas tenho meu blog. Um dia acontece, a gente cede ao devir. Não planejei nada: cá está. Pra quê este blog? Boa pergunta. Não tenho idéia, teve gente por aí dizendo que era uma boa e acabei comprando. Vamos ver se dá caldo.” Continuo querendo ver. Pelo menos, cheguei a doze meses contados, o que não é pouco. Tive pouco mais de 8 mil visitas nesse período, o que é pouco, mas compreensível. Além de ter passado bons três meses quase sem postar quando me mudei, ainda escrevo textos longos e, supremo pecado, com pseudônimo. Para este segundo ano, as coisas hão de melhorar, valha-me São WWW!

Voltando ao primeiro post, constato minha admissão de ignorância: “O que vou fazer aqui? Vamos ver. Não pensei muito nisso, mas acho que à medida em que for pensando em uma e outra coisa, posso postar aos poucos. Se alguém se der ao trabalho de ler, por favor comente, responda. De repente começa um debate, uma conversa interessante. E a coisa engrena.” Debates, até houve. Não como eu gostaria, claro. Mas já é alguma coisa. Talvez com o novo sistema de comentários que instalei, as conversas se desenvolvam melhor.

Posso recordar o processo de criação do nome do blog, vagamente descrito nesse primeiro post: “O que quer dizer esse título? Parece um paradoxo, mas, pensando bem, é o que a gente faz na maior parte do tempo. Não é sempre que lemos coisas realmente vendo, olhando o que está escrito. O mais comum é que as mensagens que flanam à nossa volta simplesmente se imprimam na nossa cabeça sem que percebamos.” Minha opinião mudou? Expandiu-se, certamente. Ganhou nuances. Acho que o nome do blog pode abarcar mais significados do que apenas isso, então calo, para não dirigir a interpretação alheia.

Finalmente, a última frase do primeiro post, um post scriptum: “PS: Não bebam de estômago vazio. Realmente não dá certo.” Talvez essa pequena frase explique muita coisa…

Por pouco que me lembre do 12 de maio de 2006, percebo que foi um ponto-chave em minha vida. A partir de lá, deixei de ser um sujeito refratário à tecnologia para tornar-me um blogueiro refratário à tecnologia. É fantástico! Faz toda diferença. A cada semana que passa, sou obrigado a aprender, apanhando muito, algo novo sobre códigos de página, widgets, feeds e outras loucuras parecidas. Nesse ponto, devo agradecer aos que me ajudaram e incentivaram: Oraco, Marcão, Tina, por exemplo. Agradeço também aos que me visitam e comentam com regularidade, aos que dão links para cá (se você não dá, intimo que dê!), aos que perdem horas de suas vidas percorrendo esses textos enormes que não vão mudar grande coisa em sua vida.

Para o futuro, claro, muitos projetos. Nos próximos dois meses, ou seja, quando passar meu período de provas, pretendo começar a escrever em dois novos espaços, além de abrir versões em inglês e francês (para treinar, ora). A aparência deste site está em constante mutação, enquanto vou aprendendo a manipulá-lo devidamente. Os textos também mudam, claro. Simplesmente porque a vida vai mudando. E aqui, textos são vida.

Tinha planejado um tom muito mais festivo para o aniversário. Só que, como sempre, interveio o imprevisto. O primeiro a chegar na festa não havia sido convidado: um infernal vírus da gripe. Em vez de champanhe, trouxe xarope, e estamos aqui, só ele e eu, brindando ao “Para ler sem olhar”. Não faz mal. Pelo menos, sei que dos leitores posso esperar presentes maravilhosos neste 12 de maio de 2007. Certo?

Anúncios
Padrão

18 comentários sobre “Nascido em 12 de maio

  1. guilherme roesler disse:

    Paulo, parabens pelo primeiro ano de vida do “Para ler sem olhar”.Muitos blogs não duram este tempo todo, e a sua existencia, apos este tempo todo, apenas demonstra a importancia de teu blog.Alias, meu e-mail mudou. Agora éacaohumana.blogger@gmail.comAbraços, Guilherme.

    Curtir

  2. Bebete Indarte disse:

    Antes de mais nada, parabéns por um ano de companhia no seu blog.E também estimo as melhoras na gripe.Grande beijo.

    Curtir

  3. Diego Barreto Ivo disse:

    Caro, Paulo! Blog é isso aí, enquadrá-lo só se for como o mar por navegar, infinito e cheio de incertezas pela frente…Pense que péssimo seria se este blog, desde o começo, tivesse seu plano de metas? Alguns entretanto pensam que, por ser um espaço descontraído, pode-se publicar qualquer merda. O que, claro, não acontece no Para ler sem pensar (algumas você vai guardar, hein!).Um feliz aniversário e retifico o que tinha dito no scrap: tome pois um porre de xarope! 😉

    Curtir

  4. Susana Mesquita disse:

    Muitos parabéns pelo blog.Tens um “meme”, à tua espera, no meu Jardim de Sonho. Lê o meu texto com atenção e se quiseres dá continuação a este elo.

    Curtir

  5. Wagner disse:

    Ligeiramente atrasado, mas a ponto de ainda desejar parabéns pelo blog (e pelo aniversário dele também).Já estou no meu segundo blog (o primeiro durou pouco mais de 2 anos), e, sinceramente, não sei muito bem o motivo de eu ter voltado a ter um blog — ou talvez eu saiba exatamente o por quê. Enfim, como eu disse no primeiro post do meu segundo blog, estes espaços virtuais não deixam de ser uma forma de EXISTIR (pelo menos para mim). Eu também costumo escrever textos longos e lê-los (quando bons) não me desagrada. Fique certo que voltarei outras vezes, pois sua escrita me agradou.Abraço.

    Curtir

  6. Menina_marota disse:

    O meu blogue também cumpriu 2 anos no passado dia 7, mas já vinha de outra “casa” desde 2004.Habituamo-nos a estes espaços… e já vou no 4 blogue que possuo… é obra, reconheço!Parabéns “bebé”… ;)))Um abraço e continue.

    Curtir

  7. PPRangel disse:

    Olá Paulo, obrigado pela visita à SOPPA e parabéns pelo aniversário! Dei uma boa passeada por aqui e fiquei muito interessado. Gostei proncipalmente de seu lado crítico cinematográfico. Concordo com quase tudo, só discordo frontalmente da sua assertiva que um poema é feito para ser declamado e não interpretado. Uepa!!!Como assim? Interpretação é tudo!A maioria das peças de Shakespeare foi escrita em versos, que atores interpretam quando as representam. Cantores interpretam poemas musicados, quando cantam canções. Penso que Camila Mogado e Ricardo Blat servem muito bem ao exelente filme Vinícius. Grande abraço, PP

    Curtir

  8. Silvia disse:

    Aniversário de blog invariavelmente leva a esses flash backs!! Parabéns ao “Para ler sem olhar”! E eu fico lendo “se molhar” toda hora. Vou por o seu link lá no Efeito, embora eu tenha bem poucos leitores… Mas se é assim tão importante pra vc…

    Curtir

  9. disse:

    Não resisto a te desejar ‘feliz aniversário’, por ver reflexão neste teu post que tive no meu primeiro ano de blog (estou só no segundo), quando a blogosfera (que palavra feia essa) minha era repleta de ativos discutidores de idéias (agora restaram os espiões de sempre). Finalmente cheguei a uma conclusão sobre o que é blog: é tudo, é indefinido. Tando me corroia pq o meu não era ‘nada’. Oras, ele foi blog o tempo todo.Foi bom visitá-loabraços.

    Curtir

  10. Merivaldo Pinheiro disse:

    :Antes da terceira chamada do terceiro dia em nova Primavera, in tempo, Feliz Aniversário, amigo.[meu sinal caiu d. 12, infelizmente]Fazer da folha eletrônica uma folha comestível é sinal que as pegadas deixadas ao longo do tempo, bravo Osrevni, podem facilmente ser identificadas; e melhor: servem de indicativo aos que porventura estão perdidos na grande floresta-net.Felicidades, muitas.Muitas alegrias.Abraços de um parauara direto do Rio de Janeiro.Merivaldo Pinheiro:

    Curtir

  11. Juliana Marciano disse:

    olá! primeiramente, obrigada pela visita. e já que passei por aqui no auge de um post festivo, aceite meus parabéns. bendigo os que conseguem manter a rotina de um blogue. eu o faço no prazo máximo de uma semana. e então, puff. mas você, não. então, de presente, desejo-lhe muitas inspirações. das boas, claro.abraço!

    Curtir

  12. Gabriela Simionato Klein disse:

    Feliz aniversário!!!!!Tô um pouquinho atrasada, mas…Penso que vc tem muito o que comemorar sim. Um ano é muita coisa, o mesmo para o número de visitantes. Ainda mais levando em consideração que vc convida a ler sem olhar, mas oferece exatamente o contrário.E, apesar do pseudônimo, tenho certeza que seus leitores se sentem bem íntimos.Beijos

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s