Uncategorized

Obituário: Syd Barrett

Sei que pouca gente conhece o guitarrista Syd Barrett, raramente mencionado nas antologias da história do Rock, jamais lembrado pelos noviços do instrumento, que veneram os mestres sem fazer menção a esse gênio perturbado que marcou, ainda que só de passagem, a história do Rock inglês.

Pois Syd Barrett, que morreu recentemente (a porta-voz que anunciou o falecimento disse “há alguns dias”), é fundador e responsável pela maioria das composições da fase mais perturbadora do Pink Floyd. Fala-se muito de Syd%20barrettRoger Waters, o baixista prepotente que não cansa de nos lembrar de que é o principal compositor da banda no seu auge comercial, com Dark Side of The Moon e The Wall.

Tudo bem. Mas na fase mais psicodélica, inventiva e provocante da banda, o nome a ser lembrado é o de Syd Barrett. The Piper at the Gates of Dawn, Astronomy Domine e outras pérolas musicais são assinadas pelo guitarrista.

Mas o mais interessante a mencionar sobre Syd foi o seu recolhimento, após deixar a banda, em 1968. O motivo de sua partida não foi nenhuma briga: simplesmente o excesso de drogas e álcool perturbou seu cérebro a tal ponto que ele mal conseguia formular frases com significado.

Seu substituto foi outro gênio da guitarra: David Gilmour. A genialidade de Syd pode ser medida pelo fato de que Gilmour, um mestre e grande instrumentista, não pode ser comparado em genialidade ao seu antecessor.

Barrett se recolheu a sua casa em Cambridge, de onde raramente se ouviu fSydalar dele, salvo no lançamento de dois discos solo, um deles muito recentemente, dois ou três anos atrás. Ouvindo os discos, vê-se que o cérebro que os produziu não segue a mesma lógica aristotélica que nós; é difícil escutá-los, mas não se pode perder de vista o respeito devido a um verdadeiro gênio dos sons.

Comparo a morte de Syd Barrett à de Tommy Bolin, outro grande guitarrista que não tem o reconhecimento que merece. Outro dia falarei dele, quem sabe?

Anúncios
Padrão

16 comentários sobre “Obituário: Syd Barrett

  1. paulinho disse:

    Paulo,tinha o vinil batizado por ele como OpelNunca o compreendi direito, talvez por pouco ouvi-lo. Mas sempre o reconheci como gênio que nunca foi reconhecido como tal. Infelizmente!abs,

    Curtir

  2. Flávia Sereia disse:

    Não sei quem o cara, mas tb não sou chegada a rock. Mas isso de anunciar a morte de uma pessoa dias depois é um tanto ruim heim!! Tá certo ele não ser lembrado ou conhecido por muitos, mas ser esquecido pelo proprio agente é dose.bjs

    Curtir

  3. Bela Caleidoscopica disse:

    Sem mencionar a competência do guitarrista (porque disso entendo pouco!), ele fundou o Pink Floyd, o que por si so ja merecia toda reverência! Mas sabia que ele foi afastado da banda, depois de fritar a “cabeuça” de tanta droga, porque ficava cuspindo no povo da 1ª fila!?hahahahahaIrreverência e psicodelia!um pacotão!!!beijo

    Curtir

  4. A Verdade Nua e Crua disse:

    A verdade cansou de se esconder. A verdade cansou de ser hipócrita. A verdade resolveu se revelar agora, sem receios ou pudores. Você está preparado para a verdade?

    Curtir

  5. Cris disse:

    oi, paulo. estive por aqui outro dia e li todos os posts (adorei em particular aquele sobre o bar do cidão), mas estava impossibilitada de comentar. mistérios do blogspot… o meu marido (o paulinho aí de cima) AMA pink floyd, mas sempre me disse não gostar da fase syd barret. eu não curto progressivo e nunca o escutei. porém, reconheço que é triste morrer esquecido.

    Curtir

  6. Paulo Osrevni disse:

    O conceito de verdade vem sendo discutido há quase três milênios. Se você tiver a resposta, não esqueça de patentear, vai dar uma bela grana!

    Curtir

  7. Anonymous disse:

    É pena que muitos não conheçam o pink desde suas origens, dadas, desde o seu nome, por Syd. Além de ser um guitarrista inovador para a época deixou-nos letras misteriosas e sua criatividade cessou de chegar ao público devido à esquizofrenia.

    Curtir

  8. Mateus Hoffmann Favreto disse:

    Syd Barret sofria de esquizofrenia, uma doença que acompanha o indivíduo a vida inteira. As drogas apenas catalizaram o surgimento dos sintomas, o que se manifestou claramente nas suas produções artísticas, indo de uma extrema genialidade experimental (e de muito boa qualidade por sinal) no início de sua carreira, mas com uma degradação relâmpago que praticamente o inutilizou para a música.
    Um gênio obscuro, de uma carreira musical tão curta, porém inspiradora para muitos artistas posteriores, inclusive grandes obras do próprio Pink floyd, como “Dark side of the moon”, “Whish you where here” e “The wall”.

    Curtir

  9. ronaldo fulini disse:

    sou fanzasso do pink floyd desde meus 12 anos, aos14 conheci as musicas de syd barret pois sao91 musicas da carreira solo e na minha opiniao e o melhor rock de todos os tempos batendo ate the beatles,led zepellin e jim morrison(the doors) entre outros

    Curtir

  10. anonimo disse:

    desde a primeira vez que ouvi Pink floyd na adolescencia, pensei é a melhor música do mundo, e sempre ouço, tenho todos cds e tenho esquizofrenia também a mais ou menos um ano, seria um gen ativado em minha genética pelo Pink Floyd?

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s